NOTÍCIAS

O rapper americano 350heem foi morto aos 25 anos durante um tiroteio no último sábado (29), na Flórida. Segundo a imprensa local, ele estava em uma festa com o irmão quando um tiroteio foi iniciado no estacionamento do local. Uma mulher de 23 anos, Jamilah Johnson, foi presa e acusada como responsável por iniciar a confusão. Esta não foi a primeira morte precoce de um artista do hip hop.

Tupac Um dos maiores artistas americanos em ascensão nos anos 90, Tupac morreu precocemente aos 25 anos, em setembro de 1996. Meses depois do lançamento de seu quarto álbum de estúdio, “All Eyez on Me”, ele foi morto em um tiroteio enquanto estava em Las Vegas. Shakur morreu no dia 13 daquele mês, seis dias depois de levar quatro tiros no peito enquanto estava parado em um semáforo em Vegas. Até hoje sem solução, há evidências de que os envolvidos pertenciam à gangue Southside Crips, da Califórnia.

Biggie The Notorious B.I.G., como era conhecido Christopher George Latore Wallace, tinha 24 anos quando foi morto em março de 1997, também em um tiroteio que aconteceu no trânsito. 

Facilmente no caminho para se tornar a maior referência do hip-hop novaiorquino, Biggie Smalls e Tupac até foram amigos, mas rapidamente se tornaram grandes rivais e muitos acreditam que isso é o que tenha levado os dois à morte —com poucos meses de diferença.

Biggie e Tupac dedicavam suas letras à denúncias das turbulências das ruas e injustiças sociais. No entanto, a diferença é que representavam costas diferentes (Tupac era da costa oeste e Biggie, da costa leste dos Estados Unidos), e acredita-se que essa rivalidade foi o que causou os dois tiroteios.

Sabotage Nascido e criado em São Paulo, Sabotage (nome artístico de Mauro Mateus dos Santos) trabalhou para o tráfico antes de encontrar saída no mundo do rap. Gravou os filmes “O Invasor” (2002) e “Carandiru” (2003). Em janeiro de 2003, foi morto com quatro tiros após levar a sua esposa para o ponto de ônibus, na Zona Sul da capital paulista. Sirlei Menezes da Silva foi condenado pelo crime, considerado culpado por homicídio duplamente qualificado.

De Tupac a Mac Miller: as mortes precoces do mundo do rap

 
Tupac, B.I.G. e Mac Miller estão entre as mortes precoces do rap - Reprodução

Um dos maiores artistas americanos em ascensão nos anos 90, Tupac morreu precocemente aos 25 anos, em setembro de 1996. Meses depois do lançamento de seu quarto álbum de estúdio, “All Eyez on Me”, ele foi morto em um tiroteio enquanto estava em Las Vegas.

Shakur morreu no dia 13 daquele mês, seis dias depois de levar quatro tiros no peito enquanto estava parado em um semáforo em Vegas. Até hoje sem solução, há evidências de que os envolvidos pertenciam à gangue Southside Crips, da Califórnia.

Biggie

The Notorious B.I.G., como era conhecido Christopher George Latore Wallace, tinha 24 anos quando foi morto em março de 1997, também em um tiroteio que aconteceu no trânsito. Facilmente no caminho para se tornar a maior referência do hip-hop novaiorquino, Biggie Smalls e Tupac até foram amigos, mas rapidamente se tornaram grandes rivais e muitos acreditam que isso é o que tenha levado os dois à morte —com poucos meses de diferença.

Biggie e Tupac dedicavam suas letras à denúncias das turbulências das ruas e injustiças sociais. No entanto, a diferença é que representavam costas diferentes (Tupac era da costa oeste e Biggie, da costa leste dos Estados Unidos), e acredita-se que essa rivalidade foi o que causou os dois tiroteios.

Sabotage

Nascido e criado em São Paulo, Sabotage (nome artístico de Mauro Mateus dos Santos) trabalhou para o tráfico antes de encontrar saída no mundo do rap. Gravou os filmes “O Invasor” (2002) e “Carandiru” (2003). Em janeiro de 2003, foi morto com quatro tiros após levar a sua esposa para o ponto de ônibus, na Zona Sul da capital paulista. Sirlei Menezes da Silva foi condenado pelo crime, considerado culpado por homicídio duplamente qualificado.

Lil Peep

Rapper “emo”, Lil Peep tinha 21 anos quando morreu em 2017. Conhecido por suas letras intensas, ele morreu em consequência de uma overdose. Horas antes de sua morte, ele publicou um vídeo nas redes sociais afirmando que estava tomando medicamentos prescritos. “Estou bem, eu não estou doente”, disse.

Mac Miller

Morto em 2018, aos 26 anos, o rapper foi vítima de uma overdose acidental em sua casa. O artista nascido na Pensilvânia falava abertamente sobre sua batalha contra o vício em suas letras, e havia se transformando em um multiinstrumentista versátil com letras elaboradas. Em vida, lançou cinco álbuns, e um sexto foi lançado de maneira póstuma em 2020.

XXXTentacion

Polêmico por sua vida turbulenta, Jahseh Dwayne Ricardo Onfroy enfrentava 15 acusações criminais no momento de sua morte, incluindo uma de agressão contra uma mulher grávida. Ele teve uma infância controversa, mas rapidamente se tornou um dos artistas mais populares ao surgir através do SoundCloud. Em 2018, aos 20 anos, foi assassinado com tiros à queima-roupa em plena luz do dia, na Flórida.

Os assassinos, Michael Boatwright (28), Dedrick Williams (26) e Trayvon Newsome (24), foram condenados à prisão perpétua.

Smoke Dawg

O canadense, que abriu shows da turnê de Drake em 2017, foi baleado 2 meses após a morte de XXXTentacion. Aos 21 anos, ele morreu como vítima de um tiroteio em Toronto, também em 2018.

Juice WRLD

Surgido também no SoundCloud, o rapper nascido em Chicago em 1998 morreu em 2019, aos 21 anos, vítima de uma overdose de drogas, enquanto estava no Aeroporto Internacional Midway, em sua cidade natal. Levado ao hospital, ele foi declarado morto.

Pop Smoke

Colaborador de Travis Scott, Pop Smoke teve uma carreira de 12 meses que ajudou a popularizar o drill, um estilo de rap mais sombrio e violento que, segundo a Folha, surgiu como um desdobramento do trap. Nascido Bashar Barakah Jackson, Pop Smoke morreu em fevereiro de 2020, aos 20 anos, após levar um tiro no estômago em decorrência de uma invasão à casa que havia alugado em Los Angeles.

Takeoff

Integrante do trio Migos, o rapper foi morto a tiros na madrugada do dia 1º de novembro de 2022, em um bar no Texas, aos 28 anos. O suspeito de ter cometido o crime é Patrick Xavier Clark, 33. Posso dizer que Takeoff não estava envolvido no jogo de dados, ele não estava envolvido na discussão que aconteceu do lado de fora, ele não estava armado. Ele era um observador inocente”, confirmou o sargento da polícia de Houston, Michael Burrow, ao declarar a prisão do acusado.

 




08/08/2023 – Rádio Religare 35

COMPARTILHE

SEGUE A @RADIORELIGARE35

(35) 99939-0903

contato@radioreligare35.com
Pouso Alegre MG – BRASIL

NO AR:
KUPULA HIP HOP INTEL - RÁDIO RELIGARE 35